A nova estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA), órgão subordinado ao Ministério da Saúde, divulgada esta semana, aponta que o Amazonas deve registrar, em 2023, 5.450 diagnósticos do câncer, incluindo as mais diversas localizações. O número é 3,8% maior que a última estimativa, que previa 5.250 casos para o Estado.
Para os homens, os tipos mais incidentes serão próstata, em primeiro lugar, com 570 casos; estômago em segundo, com 290 diagnósticos; e traqueia, brônquios e pulmão, em terceiro, somando 220 casos.
Já para as mulheres, o câncer de colo uterino manteve-se como primeiro colocado, com 610 casos. Em seguida, está o câncer de mama, com 500 diagnósticos. Completam a lista dos três mais incidentes, o câncer de pele não-melanoma, com 380 casos estimados.
Ainda de acordo com o Inca, a taxa bruta de incidência, que estipula o número de casos para cada 100 mil habitantes, ficou em 115,35 para os homens e 132,87, para mulheres.
O presidente da Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), médico mastologista, Jesus Pinheiro, explica que as principais neoplasias malignas mantiveram-se no topo da lista, destacando a necessidade de se investir, cada vez mais, em ações educativas e de rastreio, adotando-se políticas públicas eficazes para mais eficientes que acelerem o acesso ao tratamento oncológico.
“Nos casos específicos do câncer de mama e colo uterino, principais neoplasias que acometem as mulheres, o grande desafio está em estimular os exames dentro das orientações preconizadas por associações médicas, que são: realização anual da mamografia, a partir dos 40 anos, e a realização do Papanicolaou (exame preventivo), após o início da vida sexual, também anualmente”, destaca.
O uro-oncologista voluntário da Lacc, Dr. Giuseppe Figliuolo, destaca que o câncer de próstata vem preocupando cada vez mais, entidades ligadas à saúde, especialmente, por conta do preconceito e da desinformação associada ao tema. “Costumamos dizer que o rastreio do câncer, através do exame clínico do toque retal, associado ao PSA (Antígeno Prostático), podem salvar vidas, já que o câncer é uma doença silenciosa, que não apresenta sinais da fase inicial”, destacou. De acordo com ele, o rastreio é indicado para os homens em geral, a partir dos 50 anos, anualmente.
Tanto no caso dos homens, quanto no caso das mulheres, o rastreio do câncer deve ser iniciado mais cedo, caso haja casos na família, considerando o fator hereditário, que transfere características genéticas de pais para filhos, por exemplo.
*Conheça a Lacc e saiba como doar*
A Lacc foi fundada há 64 anos e desenvolve ações sociais e educativas no Amazonas, através de recursos doados pela população. Entre os projetos, estão: a destinação mensal de cestas básicas a pacientes com câncer, que se encontram em situação de vulnerabilidade social; o aluguel de quartos nas proximidades da FCecon, para acolher pacientes vindos do interior; o transporte de pacientes em tratamento de quimioterapia e radioterapia; a aquisição de alimentação especial para pacientes com restrição alimentar, em decorrência do câncer; o custeio de passagens terrestres e fluviais aos que moram em outras cidades do Amazonas, entre outros.
Para doar à Lacc, basta ligar para os telefones (92) 98484-5436 / 2101-4900, acessar o site www.laccam.org.br ou fazer uma transferência de qualquer valor via PIX , com a seguinte chave: CNPJ 04.499.182/0001-48 .