Encerram, no próximo dia 16, as inscrições para o workshop “Informar para Salvar”, um evento que ocorre nos dias 20 e 21 deste mês, de forma online e 100% gratuito, promovido pela ONG Rede Feminina de Combate ao Câncer do Amazonas, com o apoio da farmacêutica Roche do Brasil. O objetivo é democratizar informações sobre prevenção e fatores de risco do câncer, com foco no voluntariado e no treinamento de agentes multiplicadoras, explica a presidente da entidade filantrópica, Tammy Cavalcante.

Ela destaca que as inscrições podem ser feitas pelo site https://www.sympla.com.br/informar-para-salvar__953685 . A transmissão das Lives acontecerá pela plataforma YouTube, com especialistas de renome na área da oncologia e do voluntariado. Entre eles, estão a presidente da Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc/AM), enfermeira Marília Muniz, e o vice-presidente da instituição, médico mastologista Jesus Pinheiro, ambos com mais de 20 anos de experiência no tratamento e conscientização sobre o câncer.

A preocupação sobre o aumento dos casos de câncer no Brasil tem motivado instituições de apoio à causa, a se reinventarem para dar continuidade às suas ações educativas, em especial, durante a pandemia do novo coronavírus, que no Amazonas e em todo o mundo, limitou eventos presenciais por questões de segurança e controle de transmissão da Covid-19.

Por isso, o evento, que seria presencial, inicialmente, será realizado de forma online, com transmissão pela plataforma YouTube, o que possibilitará a adesão de um número maior de voluntárias. A expectativa, de acordo com Tammy Cavalcante, é que cerca de 300 mulheres se inscrevam. Até agora, foram contabilizadas 190 inscritos.

“Ainda dá tempo de participar. É uma iniciativa importante, que busca reforçar a empatia e ampliar a rede solidária no Brasil. Observamos que uma grande corrente de amor foi formada durante a pandemia, para ajudar aos mais necessitados. E sabemos que isso pode ir além”, frisou Tammy Cavalcante.

A Rede Feminina Amazonas foi fundada em 1978, em Manaus, e hoje, atua em parceria com a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), uma unidade de referência em cancerologia na região. “Trabalhamos o reforço à Política de Humanização, com base em diretrizes nacionais, e reforçamos a solidariedade com atividades de acolhimento no dia-a-dia e em datas pontuais, tudo através da iniciativa das nossas voluntárias. É um trabalho que leva carinho e esperança a milhares de pacientes que lutam contra o câncer, todos os anos”, frisou Tammy.

A ONG também participa de campanhas como o Outubro Rosa, que busca alertar a população feminina sobre a importância do rastreio e diagnostico precoce do câncer de mama, o de maior incidência entre mulheres no mundo e também o que mais mata. No Amazonas, esse tipo de câncer é o segundo em incidência, perdendo apenas para as neoplasias malignas de colo uterino. Por esse motivo, o movimento inclui em suas ações, informações de prevenção ao câncer de colo e útero.

 

Concorrência

O projeto foi inscrito, em fevereiro, através do edital Chamada ROCHE 2020, que visava fomentar esse tipo de iniciativa. Atualmente, o Amazonas tem alta incidência de vários tipos de câncer, entre eles, o de mama e o de colo uterino, o que acende o alerta para a importância de levar informações de qualidade à sociedade sobre prevenção e diagnóstico precoce, os quais podem salvar vidas.

Mulheres de todo o país poderão participar do treinamento da Rede Feminina Amazonas, que será ministrado por profissionais de várias áreas da saúde, como médicos, psicólogos, enfermeiros e especialistas em cuidados paliativos. “Haverá, ainda, um painel com três palestras, que será voltado ao compartilhamento de boas práticas na atenção ao paciente oncológico, que contará com a presença de representantes de instituições de todo Brasil”, explica.

Um resumo sobre a atividade e sua programação completa estão disponíveis no site da RFCC-AM (www.redefemininaamazonas.com.br) e no perfil da ONG na rede social Instagram (@redefemininaamazonas) . Todas as participantes terão direito a certificado de participação.