O aumento de casos de câncer de mama, em mulheres com menos de 35 anos foi o foco do discurso do médico mastologista Jesus Pinheiro, presidente da Liga Amazonense Contra o Câncer (LACC), durante manifestação cultural alusiva ao Outubro Rosa, realizada na última semana, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), por iniciativa da Comissão da Mulher, Família e do Idoso.

“Há 20 anos, o câncer de mama em mulheres com menos de 35 anos era 2%. Hoje, este índice já aumentou para 5% e no mundo inteiro o câncer de mama é mais frequente e letal. Porém, no Amazonas, apesar de ser uma doença que preocupa, o câncer de colo de útero é o mais incidente, responsável por 48% dos casos de câncer no nosso estado em mulheres no nosso Estado”, explicou.

Com performance solo da bailarina Thayra, do Vale do Balé Folclórico do Amazonas, e da cantora Fátima Silva, o evento teve a proposta de valorizar a autoestima das mulheres no enfrentamento ao câncer.

A deputada estadual Therezinha Ruiz (União Brasil), vice-presidente da Comissão da Mulher, falou sobre as formas de conscientização da Campanha Outubro Rosa. “Neste evento procuramos sensibilizar as mulheres a se cuidar, fazer seus exames regularmente, porque todas as mulheres precisam se preocupar com o câncer e todas as formas de mandar esse recado são válidas, até porque atualmente temos índices de casos de câncer em mulheres cada vez mais jovens”, afirmou.

“É uma programação dedicada às mulheres que estão na luta contra o câncer. Uma forma de resgate e valorização da autoestima. A arte e a cultura podem trazer este sentimento, fortalecendo a sensibilidade afetada que a doença traz”, explicou o cerimonialista da Comissão, Lucius Gonçalves.

A enfermeira Marília Muniz, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer no Amazonas, destacou o apoio da Assembleia na causa. “O movimento do Outubro Rosa é mundial e a Assembleia sempre aborda essa temática da prevenção de várias formas e, desta vez, vem com esta proposta cultural. Todas as formas de sensibilização são importantes para lembrar as mulheres que elas precisam fazer seus exames de rotina, se prevenir, se cuidar”, declarou.

A cantora Fátima Silva falou sobre a sua experiência no enfrentamento ao câncer de mama e a importância de eventos neste sentido. “Sempre a gente pensa que o câncer é uma doença que o vizinho, uma pessoa qualquer vai ter, mas a gente nunca vai ter. A pessoa tem de fazer sua prevenção, procurar ajuda se encontrar algo de anormal, porque não se examinam ou não vão ao médico para não procurar doença, mas é justamente o contrário, nós temos de procurar sim para descobrir o tratamento e a cura o mais cedo possível”, aconselhou.

Além das apresentações também foram entregues certificados de homenagem à 1º sargento da Polícia Militar Elivanda Pinheiro; à enfermeira Marília Muniz, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer no Amazonas; ao médico mastologista Jesus Pinheiro, presidente da Liga Amazonense Contra o Câncer (LACC); à presidente do Lar das Marias, Adelaide Machado Portela; à Oriona Maria Ferreira, do Grupo de Apoio às Mulheres Mastectomizadas da Amazônia (Gamma); à cantora Fátima Silva e à presidente da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), Maria do Perpétuo Socorro Sampaio.

*Com informações da Aleam

*Fotos:Aleam